Gestão inteligente: execução de obras com mais produtividade

Construir requer planejamento. Acima de tudo quando se trata de obras de grande porte para empresas e indústrias. Além da otimização de tempo, é preciso potencializar recursos, sejam de mão-de-obra, insumos ou materiais. Isso é fazer uma gestão inteligente.

O controle habilidoso de uma obra gera mais produtividade, causando impacto expressivo e resultando em entregas satisfatórias para os clientes.

Mas o que vem a ser, de fato, uma gestão inteligente? É o que vamos mostrar neste artigo. Siga com a gente para entender melhor.

A gestão inteligente na prática

Já entendemos que gerir de forma inteligente é garantia de sucesso nas entregas. Entretanto, como é possível, no dia a dia das construções, aplicar essa administração voltada para resultados?

Sabemos que muitos aspectos estão envolvidos em um projeto de grande porte. Desde o objetivo da obra em si, o espaço de trabalho, a equipe (incluindo terceirizados), recursos financeiros (determinados previamente em orçamento), recursos materiais, tempo e, por vezes, as surpresas ao longo do caminho.

A gestão inteligente busca, entre outras coisas, a utilização de forma otimizada de todos os recursos disponíveis. Isso se dá elaborando estratégias, táticas e execuções capazes de potencializar desde o espaço até o uso das ferramentas mais prosaicas, como prego e martelo. Além do horário de descanso dos pedreiros e demais profissionais envolvidos.

Juntamente com isso, podemos pensar em bases ou fundamentos de uma gestão otimizada que possam guiar o gestor no planejamento e aplicação de atitudes de uma boa administração.

Bases de uma gestão inteligente

Ao se pensar obras de grande porte, entendemos que todos os números tendem a ser igualmente grandiosos. Ou seja, é fácil se perder no controle de tudo caso não haja uma organização bem fundamentada em práticas racionais e funcionais.

De acordo com isso, temos como base para uma gestão inteligente: agregar, render, respeitar e inovar.

  • Agregar à equipe um compartilhamento de informações e de atividades que inspire união, responsabilidade e autoestima;
  • Fazer render o tempo, os recursos, as habilidades e competência. Em suma, estimular a eficiência de cada um, em grupo e individualmente;
  • Respeitar o meio-ambiente, o prazo, orçamento, em consonância com os meios e materiais disponíveis;
  • Inovar com uso de tecnologias, novos aprendizados e soluções.

Ações para uma gestão otimizada

Para evitar o desgaste de profissionais, desperdício de materiais e de tempo, é pertinente investir em fatores que contribuem com um fluxo equilibrado entre as partes envolvidas. Como por exemplo:

  • Segurança – além de manter a integridade dos funcionários, evita contratações de última hora e atrasos;
  • Capacitação dos recursos humanos – funcionários treinados são mais ágeis na execução e na tomada de decisões;
  • Uso racional de materiais – evita desperdício e recompra, interferindo no tempo e no orçamento;
  • Pesquisa de compra de insumos – melhoria no custo x benefício dos materiais;
  • Planejamento e controle – através de planilhas compartilhadas, softwares de gestão e afins.

Todas essas ações impactam diretamente na otimização de recursos dos clientes e refletem num trabalho mais preciso, minimizando bastante a margem de erros e imprevistos. Esse processo acaba se traduzindo na tão desejada redução de custo e cumprimento de prazos. E isso é gestão inteligente!

Siga-nos nas mídias sociais para saber mais sobre gestão de obras de grande porte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *